Pendurei o meu nome num cabide para começar a viver a minha infância.

Pendurei o meu nome num cabide para começar a viver a minha infância, é um projeto de Ricardo Cabaça que foi desenvolvido na Start-Up Cultural de Arruda dos Vinhos.

O projeto de escrita que desenvolvi na antiga Escola Primária da Quinta da Serra teve como premissa desenvolver a relação entre espaço e o exercício da escrita, através da presença do artista numa determinada geografia, assimilando os elementos naturais ou artificiais que o envolvessem. Além de ser um processo bilateral, onde o autor é permeável ao espaço mas também este é uma construção concreta da obra, vemos o ato da escrita como uma revolução do espaço. Será que voltamos ao mesmo espaço depois de lá termos estado desde a última vez? O que mudou desde o momento em que escrevemos aquela sala de uma outra forma?

O projeto aconteceu em diversos espaços da antiga Escola Primária da Quinta da Serra, explorando ao máximo a relação entre espaço e artista, mas também observando outros pontos de vista, deslocando o ponto do olhar, nem que seja um centímetro. Não esquecendo no entanto a história do edifício no seu passado, pedagógico e lúdico, este projeto teve igualmente a vertente de trabalhar a memória e as vozes de quem ali aprendeu. Este último propósito permitiu convidar antigas alunas que nesta escola aprenderam para falarem sobre as suas experiências, e em última análise, com elas escrever um novo capítulo nas suas vidas. Este prisma do projeto é extremamente delicado e será uma memória para o futuro, uma forma de inscrever no espaço a memória de quem ali estudou.

Este projeto começou em junho de 2021, onde o primeiro passo foi fotografar e absorver a energia do espaço, assim como imaginar vozes e movimentos. Ao longo desta primeira fase procurei reconstruir o caminho de alunos e professoras, estando sozinho no espaço, em silêncio para permitir uma interiorização mais ampla. Depois passei para a fase de visitas regulares e escrita no espaço. Até que abandonei o espaço e escrevi os cinco textos que compõem este projeto noutros espaços, de forma a que a memória que guardava da escola pudesse ser ativada.

Escolhi cinco espaços da escola: Portão, Sala de aula, Pátio, Sala de convívio e Cabides.

Em julho de 2021 entrevistei as antigas alunas Mafalda Caneca, Olga Filipe e Sónia Santos.

Para concretizar este projeto fiz uma tripla ligação entre as memórias que guardo da minha escola primárias, as memórias das entrevistadas e finalmente, as memórias que ficcionei se eu tivesse sido aluno na Escola Primária da Quinta da Serra.

As entrevistas

Mafalda Caneca

Olga Filipe

Sónia Santos

Os textos

Portão

Sala de aula

Pátio

Sala de convívio

Cabides

Um agradecimento muito especial à Junta de Freguesia de Arruda dos Vinhos, ao seu presidente Fábio Morgado. À Mafalda Caneca, Olga Filipe e Sónia Santos pelas entrevistas e pela partilha de fotografias. A todos os alunos que estudaram nesta escola, às professoras e auxiliares.

Texto e voz Ricardo Cabaça

Apoio e documentação fotográfica Daniela Rosado